C# – Conceitos Básicos

Tempo de leitura: 5 min

Escrito por Celso Kitamura
em 27 de dezembro de 2016

Entre para o Grupo VIP e fique sabendo antes das novidades

Junte-se à nossa comunidade de App Devs que estão transformando o mundo

100% livre de spam.

Compartilhe agora mesmo:

C# – Conceitos Básicos

O que é C#?

 

C# (pronuncia-se cê xarpe) é uma linguagem de programação criada pela Microsoft e teve sua versão 1.0 lançada em 2002.

 

Internamente era conhecido como projeto COOL (C-like Object Oriented Language) e Anders Hejlsberg foi o engenheiro chefe.

 

Na época gentilmente apelidado de “Java da Microsoft”, o C# incorpora várias características da linguagem Java (criada na empresa Sun Microsystems sob liderança de James Gosling). Mas também teve seu design baseado em C, C++, Smalltalk, Delphi e Visual Basic.

 

C# – Conceitos Básicos

Orientado a objetos

 

A Programação Orientada a Objetos (POO) é um padrão de desenvolvimento. O termo foi criado por Alan Kay, mas as ideias foram utilizadas primeiramente na linguagem Simula 67, de Ole Johan Dahl e Kristen Nygaard, em 1967.

 

Ela foi criada para tentar representar o mundo real dentro de um programa de computador. A ideia básica é utilizar objetos virtuais para representar objetos reais. Por exemplo: cliente, pedido, país, etc.

 

Para uma linguagem ser considerada Orientada a Objetos, ela deve satisfazer alguns requisitos:

 

Abstração

 

É o conceito de, a partir de um objeto real, traduzir suas principais características dentro da aplicação, sem se preocupar com pontos acidentais.

 

Ou seja, traspor um objeto do mundo real para o mundo virtual através de aspectos relevantes do problema a ser resolvido.

 

Por exemplo, considere o objeto Cliente. Um cliente no mundo real tem um atributo chamado peso.

 

Numa aplicação de um banco (tipo conta corrente) meu objeto Cliente não precisa desta propriedade, pois é irrelevante para este tipo de sistema. Mas se estiver desenvolvendo um aplicativo de acompanhamento de dieta? Neste caso o peso é uma propriedade essencial.

 

Encapsulamento

 

Encapsulamento, como o nome já diz, consiste em proteger parte do código. Fazer este isolamento facilita a manutenção e torna o software mais flexível. Assim, detalhes internos do funcionamento do objeto ficam ocultos dos demais.

 

Exemplificando: imagine um objeto chamado Conta que possui uma propriedade saldo. Quando eu quiser mostrar o saldo na tela, eu não preciso saber que tipo de operações ele executa para chegar neste valor. Eu simplesmente peço o saldo e mostro.

 

Herança

 

Na herança um objeto pode estender todas as características de um outro objeto e ainda possuir suas próprias características.

 

Como exemplo podemos utilizar os objetos PessoaFisica e PessoaJuridica. Eles possuem características em comum, como nome e endereço. Para evitar a duplicação de código, criamos um objeto chamado Pessoa com nome e endereço. Daí os objetos PessoaFisica e PessoaJuridica podem ser herdeiras do objeto Pessoa.

 

Assim, os objetos PessoaFisica e PessoaJuridica possuem os atributos nome e endereço (por conta da herança) mas podem possuir características próprias. PessoaFisica tem o atributo CPF e o PessoaJuridica tem o CNPJ.

 

Polimorfismo

 

Polimorfismo vem do grego e significa “muitas formas”.

Neste conceito, objetos filhos do mesmo objeto pai podem ter comportamentos diferentes para uma mesma mensagem.

 

Voltando ao nosso exemplo anterior, os objetos PessoaFisica e PessoaJuridica possuem um atributo chamado ValidarDocumento. Como o tipo de documento é diferente de acordo com o tipo de Pessoa, este atributo (apesar do mesmo nome) se comporta de maneira diferente dependendo do documento (CPF ou CNPJ).

 

Máquina virtual

 

O C# usa o conceito de máquina virtual (como o Java).

 

E como isso funciona?

 

Em linguagens de programação anteriores (como o C++) o código fonte (o que você escreve) é convertido através do compilador em código binário (o que a máquina entende) sob medida para determinada arquitetura de hardware e sistema operacional.

 

Caso você precise que este mesmo programa seja executado em outra plataforma, é necessário reescrever parte dele para que ele fique compatível com este novo ambiente.

 

No C# existe uma camada intermediária entre o sistema operacional e a sua aplicação. Essa máquina virtual deixa o sistema operacional “transparente” para você. Ou seja, você não precisa se preocupar com o ambiente onde seu programa rodará, já que a máquina virtual fará isso por você. Esta máquina virtual é conhecida como CLR (Common Language Runtime).

 

O compilador C# transforma seu código em uma linguagem intermediária (que é comum a todas as linguagens da plataforma .NET), a CIL (Common Intermediate Language).

 

Garbage collector (coletor de lixo)

 

Um dos problemas mais comuns das linguagens “tradicionais” como o C++, é o Memory Leak (vazamento de memória).

 

O Memory Leak acontece quando uma área de memória alocada para uma determinada operação não é liberada depois de ser utilizada. Isso faz com que esta área não possa mais ser utilizada para outros fins. Quando isso acontece muitas vezes, o resultado é memória cheia, sistema lento e, em casos extremos, falha no sistema todo.

 

Por esse motivo programadores C++ devem prestar atenção redobrada e sempre liberar a memória depois de utilizá-la. Pode parecer bobagem, mas em C++ é muito fácil você cair nesse erro.

 

Mas no .NET não precisamos nos preocupar tanto, pois a plataforma conta com um Garbage Collector.

 

Claro que devemos sempre seguir as melhores práticas para utilizarmos a memória sempre com eficiência, mas é sempre bom saber que há outros processos para nos auxiliar.

 

E como funciona este Garbage Collector? Em resumo, ele gerencia a alocação de memória e sua liberação. De tempos em tempos ele varre a memória em busca de objetos não utilizados e libera seu espaço.

 

Palavras finais

 

Este artigo é apenas uma introdução aos conceitos básicos de C# e não pretende esgotar o assunto, portanto aguarde artigos específicos para cada tópico aqui discutido.

 

Só com a Programação Orientação a Objetos podemos ter uma série de artigos para vermos vários conceitos e aspectos deste importante paradigma no desenvolvimento de software.

 

O funcionamento do Garbage Collector é bem mais complexo do que o descrito aqui. E também merece artigos mais detalhados.

 

Iremos também ver em detalhes o funcionamento da máquina virtual da plataforma .NET. Se você ficou curioso, aguarde. O importante neste momento é entender o conceito, o resto veremos na hora certa.

 

Meu e-book Como Aprender a Programar do Absoluto Zero está GRATUITO por tempo limitado!

Olha o link: 👉🏼 https://celsokitamura.com.br/como-aprender-a-programar

Bora aprender a programar!

Compartilhe agora mesmo:

Comece pelo e-book GRATUITO (Por Tempo Limitado)

Crie Sua Primeira Skill Alexa

Se você não sabe por onde começar, este e-book te mostra o passo a passo para criar sua primeira skill Alexa.

QUERO CRIAR SKILLS PARA ALEXA!
100% livre de spam.

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta


*


*


Seja o primeiro a comentar!

Entre para o Grupo VIP e fique sabendo antes das novidades

Junte-se à nossa comunidade de App Devs que estão transformando o mundo

100% livre de spam.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.
Criado por WP RGPD Pro